agora -como me descobrira. e isso não era nada.

é como saber o sol numa pressa inconformada
e ver a marca da roupa no fim de um dia, no corpo.

a porta que se fachara havia restituído um olhar suave, atento, uma continuidade existencial perdida
qual se recria em outra porta o inalcançável e exato de todas as outras portas e de todos os outros dias…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s